:: Visite a Bahia ::
     
     
Domingo, 22/10/2017 - Hoje é dia de Ibejis (São Cosme e Damião) Entidades que se apresentam de maneira infantil.
Documento sem título
Carnaval
A origem
Dos Afoxés
Da Década de 70
Da Década de 80
Da Axé Music
Do Trio Elétrico
Dos Blocos
Dos Personagens
Últimos Carnavais

 

 
 
 
 
 
 
 
 
ÚLTIMOS CARNAVAIS
 

Carnaval 2003
Indicadores do Carnaval 2003
Homenageando a mulher baiana, o Carnaval 2003 aconteceu entre os dia 27 de fevereiro e 4 de março deste ano. A maior festa de rua do mundo do atraiu cerca de 950 mil visitantes que, somados à população local, registraram para a festa um público estimado em 2 milhões e duzentas mil pessoas, divertindo-se nos 25 Km de circuito, durante os 6 dias de muita festa e vibração.

Mas não só de entusiasmo se fez o Carnaval da Baiana. Os indicadores econômicos da festa, organizados pela Prefeitura Municipal através da Emtursa, mostram o volume de negócios gerado pelo evento, que implementa de maneira substanciosa a economia da cidade.

Foram criados cerca de 184 mil novos postos de empregos, 29% a mais do que no ano passado, o que destaca os benefícios trazidos pela festa. Estes números incluem a contratação de técnicos pelos gestores da festa, artistas, contratações da rede hoteleira e das entidades carnavalescas, funcionários de estruturas particulares de camarotes, ambulantes e profissionais de imprensa, dentre outros.

A Emtursa cadastrou 199 entidades, entre blocos de trio, afro, afoxés, de índio, travestidos e percussão. Nos blocos desfilaram 450 mil associados e no Espaço Infantil - instalado no Passeio Público, no Campo Grande - foi registrada a presença de 30 mil crianças ao longo do evento. O Carnaval também se estendeu por quatro bairros: Liberdade, Periperi, Itapuã e Cajazeiras, atraindo um público de 270 mil foliões a estes espaços. Além disso, foram instalados 166 camarotes (56 particulares) nos Circuitos Osmar e Dodô.

Na organização e operacionalização da festa trabalharam mais de 20 órgãos públicos. Os circuitos foram iluminados por cerca de 72 mil metros de cordões luminosos e 4.150 luminárias e projetores em estrutura elétrica de 7,1 milhões de watts. Em todos os circuitos foram instalados 1.700 sanitários químicos e em torno da festa foram criadas 21.409 vagas de estacionamento. Além desta infra-estrutura, o folião contou com a sinalização de 950 placas, além de mapas, bandeiras e marcos que facilitaram a sua orientação nos circuitos.

Grande divulgador de marcas, o Carnaval 2003 foi patrocinado por cinco grandes empresas de diferente segmentos: Bradesco, Schincariol, Credicard, TIM e Bompreço, este último patrocinador do carnaval nos bairros. Além das marcas oficiais, durante os seis dias de evento foram expostas 538 marcas. A mídia espontânea de TV proporcionou um tempo de exibição da festa de 65 horas em rede nacional e 120 horas em TV internacional.

A cobertura foi realizada por 2.446 profissionais de imprensa local, nacional e internacional. A festa foi transmitida para 135 países, através de 65 emissoras de rádio, 75 revistas, 139 produtoras de vídeo, 97 jornais (21 internacionais) e 14 emissoras de TV, além de 168 sites na Internet.

Diante de todos estes números, verifica-se que o Carnaval de Salvador tornou-se um grande expoente de lazer e investimentos. Somado aos diversos eventos promovidos pela Prefeitura através da EMTURSA durante todo o ano, a folia momesca confere à capital baiana destaque nacional como grande pólo de entretenimento e geração de negócios.


Carnaval 2002
Emtursa divulga indicadores do Carnaváfrica
O Carnaváfrica aconteceu entre os dias 7 e 12 de fevereiro de 2002, homenageando o continente africano e seu legado cultural para a história de Salvador, cidade que possui 80% da população formada por afro-descendentes, o que agradou aos visitantes e população local. A África, além de ser o tema do Carnaval 2002, foi convidada especial do evento sendo representada por seus embaixadores e artistas que puderam sentir a vibração desta Capital da Alegria.

Em 2002, o Carnaval de Salvador confirmou mais uma vez a posição de maior festa de rua do mundo. Os indicadores econômicos do Carnaváfrica, organizados pela Prefeitura Municipal através da Emtursa, mostram o volume de negócios gerados pelo evento, que possui real importância para a economia da cidade.

Durante os 6 dias de evento foram gerados 142 mil empregos, entre diretos e indiretos, e movimentados R$ 602,35 milhões em negócios. Estes números incluem os investimentos das entidades carnavalescas como a venda de abadás e contratação de artistas, venda de camarotes e arquibancadas, comercialização de bebidas, alimentação, hospedagem, transportes e investimentos dos patrocinadores. Contribuíram também as festas e ensaios que aconteceram antes do Carnaval.

Durante a festa a cidade recebeu 993 mil visitantes estrangeiros e nacionais .Ao todo 2 milhões de foliões ocuparam os 25 quilômetros de ruas, avenidas e praças que compõem os 3 circuitos.

A Emtursa cadastrou 190 entidades, entre blocos de trio, afro, afoxés, de índio, travestidos e percussão. Nos blocos desfilaram 185 mil associados e no Espaço Infantil instalado no Passeio Público, no Campo Grande foi registrada a presença de 24mil crianças ao longo do evento por dia. O Carnaval também se estendeu por 4 bairros: Liberdade, Periperi, Itapuã e Cajazeiras.

Na organização e operacionalização da festa trabalharam 20 órgãos públicos. Além desta infra-estrutura, é destacável a sinalização da cidade durante o Carnaval. Foram colocadas de 900 placas, além de mapas, bandeiras e marcos que facilitaram a orientação dos foliões.

Vitrine de marcas, o Carnaval 2002 contou com 5 patrocinadores oficiais e ao todo, foram expostas 411 marcas nos 6 dias de evento. A mídia espontânea de TV proporcionou um tempo de exibição da festa de 40 horas, 58 minutos e 41 segundos, o que equivalem a 4.917 inserções comerciais, o que em valores representa cerca de R$ 30 milhões.

A repercussão do evento, nos jornais impressos foi favorável ou neutra em 98% das veiculações. A cobertura foi realizada por 3.741 profissionais de imprensa local, nacional e internacional. A festa foi transmitida para 159 países, além de 180 sites na Internet. O Carnaval de Salvador é uma prova de que a capital baiana oferece inúmeras opções de lazer, associadas à grandes oportunidades de negócios o que a torna cada vez mais irresistível para se conhecer e viver.

 

Carnaval 2001
A paz foi o grande tema do Carnaval 2001
A Cultura da Paz foi grande tema do primeiro Carnaval do milênio. Juntamente com o Governo do Estado, a Prefeitura Municipal de Salvador mobilizou sociedade, artistas, blocos e organizações, envolvendo-os na causa e contribuindo com a festa no sentido de promover a paz pelos quatro cantos da cidade. O evento, que neste ano aconteceu de 22 a 27 de fevereiro, também homenageou o cantor e compositor baiano Dorival Caymmi e trouxe como novidades a realização de concursos de entidades afros e afoxés na Praça Castro Alves, a internacionalização do concurso gay de fantasias que aconteceu na Praça Municipal, o fim dos camarotes em áreas públicas do circuito Dodô, entre a Barra e Ondina, e a organização de um bloco especial, relativo ao tema da folia, no Campo Grande na noite de domingo, reunindo no Campo Grande os Doces Bárbaros, acompanhados de Danilo e Alice Caymmi.
A programação incluiu o desfile de 190 entidades carnavalescas (das quais 8 afoxés, 21 afros, 17 alternativos, 31 blocos de trio, 1 especial, 2 índios, 8 infantis, 4 orquestras, 18 de percussão, 17 travestidos, 35 pequenos grupos e 28 trios independentes), com 277 atrações musicais e 209 mil foliões, além de apresentações nos bairros de Cajazeiras, Itapuã, Periperi e Liberdade (com palcos montados para shows de sábado a terça-feira), atrações do Palco do Rock na praia de Piatã (de sábado a terça-feira) e os bailes infantis no Passeio Público.
Ao todo, foram 25 quilômetros de ruas, avenidas e praças interditadas para os desfiles nos circuitos Osmar, Dodô e Batatinha (sendo 11,5 quilômetros de ruas e avenidas apenas para os desfiles: 4,5 Km do circuito Dodô e 7 Km dos circuitos Osmar e Batatinha).

Motor da Economia
Ano após ano, os indicadores econômicos do Carnaval de Salvador vêm se tornando mais e mais significativos. A festa vem se tornando cada vez mais conhecida e absoluta em termos de números, tranformando-se num dos grandes motores da economia baiana. Em 2001, por exemplo, a festa foi responsável pela geração de 125,2 mil empregos diretos e indiretos, e uma movimentação de negócios da ordem de R$ 537 milhões, incluindo venda de abadás, comercialização de bebidas e alimento em blocos, investimento das entidades carnavalescas, festas de blocos entre outubro e fevereiro, venda de água, cerveja e refrigerantes, camarotes, mesas de pista e arquibancadas, hospedagem, aluguel de imóveis, passagens aéreas, terrestres e hidroviárias, indústria fonográfica, dentre outros. Cerca de 5.800 artistas comandaram a festa de cima dos trios elétricos e palcos. Ao mesmo tempo, a cidade registrou a presença diária de 2 milhões de pessoas nas ruas, a participação de quase 200 entidades carnavalescas e a visita de 952 mil pessoas no período compreendido por cinco dias antes, durante e cinco dias depois da folia, sendo 401 mil turistas brasileiros e estrangeiros (13%) e o restante, moradores de municípios localizados a menos de 150 quilômetros de distância de Salvador. As unidades hoteleiras registraram um índice de 98% de ocupação e, em termos de estrutura, a festa contou com a construção de 116 camarotes, 38 mesas de pista, 2.280 lugares em arquibancadas pagas e 1.913 lugares em arquibancadas gratuitas.
A festa foi transmitida em 169 horas pelas emissoras de televisão em rede local, 82 horas e 22 minutos em rede nacional e 104 horas e 43 minutos em rede internacional (para 50 países através da TV Bandeirantes, para 29 países através da Directv e para 12 países através da Globo Internacional). Ao todo, foram credenciados 3.832 profissionais de imprensa, sendo 425 estrangeiros (de 36 países e de 148 órgãos da imprensa internacional), 728 nacionais, 2.459 locais e 220 do estado da Bahia. Os brasileiros representaram um total de 843 órgãos de imprensa de todo o País. Outro saldo positivo da festa revelou-se na coleta de 150 toneladas de latas de cerveja e refrigerante, usadas para reciclagem, e consumo de 10,3 milhões destas bebidas, além de 5,2 milhões de litros de água mineral.

Carnaval 2000
Carnaval de Salvador homenageia trio elétrico, axé music e 500 anos de Brasil
O Carnaval do ano 2000 comemorou fatos importantes do mundo, do Brasil e da Bahia: o aniversário de 500 anos do descobrimento do Brasil, o cinqüentenário do trio elétrico e os 15 anos da axé music. Organizado através de parceria entre a Prefeitura Municipal de Salvador e o Governo do Estado, o evento aconteceu entre os dias 2 e 7 de março e trouxe a cerca de 2 milhões de foliões desfiles de 214 entidades, uma programação de alta qualidade em cinco bairros e no Pelourinho, um espaço voltado para crianças no Campo Grande e novidades, como um show pirotécnico no Farol da Barra, um palco de reggae na Cidade Baixa, um bloco especial e o personagem-símbolo Pêro Vaz de Caminha.

Com um total de 25 quilômetros de ruas, avenidas e praças interditadas para desfiles nos circuitos Osmar (Campo Grande), Dodô (Barra-Ondina) e Batatinha (Centro Histórico), a festa trouxe, ainda, como novidades a colocação de um portão de controle de fluxo no circuito Dodô, próximo ao Farol da Barra, e o aumento de iluminação no Pelourinho e nas ruas transversais à avenida Adhemar de Barros, em Ondina, o que serviu para melhorar a segurança e a organização do evento. A grandiosidade do Carnaval pôde novamente ser demonstrada pelo número de profissionais de imprensa credenciados para a cobertura da festa: 3.368 no total, sendo 453 estrangeiros (de 31 países e 143 veículos de comunicação), 687 nacionais e 2.228 locais. Além disso, o evento contou com transmissão pelas emissoras de televisão de mais de 184 horas em rede estadual, 69 horas em rede nacional e 81 horas em rede internacional para cerca de 50 países através da TV Bandeirantes e 185 através da Rede Globo Internacional.

Motor da economia
Com isso, o Carnaval de Salvador vem se tornando cada vez mais conhecido e absoluto em termos de números, transformando-se num dos grandes motores da economia baiana. Neste ano, a festa foi responsável pela presença de 800 mil visitantes no período compreendido por cinco dias antes, durante e cinco dias depois da folia, sendo 600 mil residentes em localidades com menos de 150 quilômetros de distância de Salvador e o restante, turistas brasileiros (87%) e estrangeiros (13%). A ocupação das unidades hoteleiras classificadas da Capital chegou a 100% e a receita decorrente do fluxo turístico atingiu a marca de US$ 90 milhões.
De uma forma geral, o evento foi responsável pela movimentação de R$ 495,3 milhões, incluindo a comercialização de CD's de axé music, camarotes e arquibancadas, abadás e passagens aéreas, terrestres e hidroviárias; vendas efetuadas por baianas de acarajé, restaurantes, bares e lanchonetes; consumo de cervejas e refrigerantes; festas de blocos entre outubro e fevereiro; investimentos de blocos carnavalescos; aluguel de veículos; reciclagem de latas de refrigerante e cerveja; dentre outros. A festa gerou, ainda, cerca de 122,9 mil empregos diretos, merecendo destaque os cordeiros e seguranças de blocos, barraqueiros e ambulantes, artistas e técnicos de som, iluminação, montagem e decoração.

 
 
 
 
 
SHOPPINGVISITEABAHIA

 

Documento sem título
Sites do Grupo VBTur :
VBTur :Agencia Operadora de turismo Receptivo em Salvador :Ag.receptivo Pacotes de Reveillon :Pct hospedagem
Pacotes de Carnaval : Pct hospedagem Visite a Bahia: Portal de Turismo Bahia Visite o Brasil: Portal de Turismo Brasil
Turismo TV: Webtv sobre Turismo Noticias de Turismo: Noticias s/Turismo Ofertas do Turismo: Ofertas especiais
Leilão de Turismo: Produtos turísticos Central de Escunas: Passeio às Ilhas Turismo Club: Ofertas só p/associados
Aquishow: Portal de Musica e Lazer    

Copyright 2004 -VisiteaBahia.com.br

Todos os direitos reservados à visiteabahia.com.br * É totalmente proibida a cópia total ou parcial desse site.