:: Visite a Bahia ::
     
     
Domingo, 26/03/2017 - Hoje é dia de Ibejis (São Cosme e Damião) Entidades que se apresentam de maneira infantil.
Documento sem título
Variedades
Casos e Causos
Personalidades
O que Levar

 
 
 

Causos do Ministério Público

A cada dia, a vida nos se apresenta de forma especial, peculiar e, sobretudo, interessantíssima. Digo isso lastreando-me nos fatos levados ao conhecimento do Projeto Ministério Público Vai às Ruas. Fatos esses, obviamente, bastante inusitados.

      Curioso é que as conotações das respostas advindas de simples perguntas efetuadas - bem como a proporção que assumem - são das mais diversas, a depender, no mais das vezes, do grau de instrução da pessoa indagada, ou da forma como ela se utiliza das palavras. Exemplo disso é a famosa e hilariante frase (ou seria anedota jurídica?): "o de cujus deixou uma decuja e quatro decujinhos".

     Em decorrência da realização de audiências e atendimentos outros, foram selecionados alguns casos que, muito embora, na realidade, eles se devam a fatores desprovidos de qualquer veia cômica, haja vista a situação sócio-econômico-cultural dos protagonistas, ainda assim, possuem aspectos assaz espirituosos. Vamos a eles:

1 - Histeria estéril - Em plena audiência sobre a paternidade de um menor:


- Doutor, diz o suposto pai, Esse filho não é meu. Além do mais, essa mulher me dizia que não podia ter filhos.
- Não podia ter filhos? Por quê? Quer fazer o favor de se explicar?
- Ela é histérica, Doutor, não tem como ela engravidar!

2 - Objetivando sacar quantia depositada em conta bancária, chega o cidadão à Unidade Móvel do Ministério Público (Projeto MPVR), sendo atendido no primeiro gabinete (nesse local havia algumas gavetas à vista):


- Seu Doutor, vim do Fórum agora e lá a mulher disse pro senhor me dar um varal para eu tirar o dinheiro do banco.
- Ah, sim, um alvará, senhor. Veja bem, isso é uma ação e não é algo que fique em gaveta para que a gente vá lá e pegue quando precise.
- Na primeira ou na segunda (gaveta)?

3 - Após a oitiva das partes, o estagiário diz:

- Vou precisar que a senhora traga uma cópia da certidão de seu filho, para instruir a ação de investigação de paternidade que será ajuizada.
- Xéri não serve não, Doutor?

4 - Termo de declarações, quando da qualificação:

- Nome completo?
- João Ferreirinha de Abreu (nome fictício)
- Estado civil?
- Servi. Servi, sim. Só não tô aqui com a carteirinha de reservista, mas que eu servi, eu servi.

5 - Após algum tempo de negociação referente ao acordo de alimentos:

- Então quer dizer que o senhor não pode pagar R$60,00 por mês para seus filhos, a título de pensão alimentícia?
- Não posso, Doutor. Fica muito pesado. Sabe como é que é.
- Então vamos fazer o seguinte: o senhor paga, então, R$15,00 por semana. Tudo bem?
- Agora sim, ficou melhor...

6 - Audiência: investigação de paternidade e... "dúvidas":


- E então? O senhor reconhece a paternidade da garota?
- Não, Doutor. Tenho minhas dúvidas.
- E em que o senhor pauta tais dúvidas?
- Sabe como é, né? Nós somos seres humanos...

7 - Um rapaz teve consignado em sua certidão de nascimento como sendo do sexo feminino. Após a colheita do termo de declarações, para ajuizamento de ação pertinente, diz ele:

- Doutor, muito obrigado. Boa sorte pro senhor.
- Boa sorte? O senhor é quem vai mudar de sexo e eu é que vou precisar de boa sorte? Eu, hein...




 

 
 
 
 
 
 
 
 
SHOPPINGVISITEABAHIA

 

Documento sem título

Copyright 2004 -VisiteaBahia.com.br

Todos os direitos reservados à visiteabahia.com.br * É totalmente proibida a cópia total ou parcial desse site.