:: Visite a Bahia ::
     
     
Quinta, 27/07/2017 - Hoje é dia de Oxóssi (São Jorge ) Deus da caça e da floresta. Contas azuis e vermelhas.
Documento sem título
Folclore
Afoxé
Bacamarteiros
Bailes Pastoris
Bando Anunciador
Bumba Meu Boi
Burrinha
Cabeçorras
Caboclinhos
Capoeira
Chegança ou Marujada
Lamentação das Almas
Lindro Amor
Maculelê
Mandus
Puxada de Mastro
Samba de Roda
Terno de Reis e Congo
Trança Fitas
Zambiapunga
 

 

 
 
 
Crença popular com performance dramátic, característica da região e originário, possívelmente das festas e cantos dos pastores da idade média.
 
 
Bailes Pastoris 
 

As melodias dos bailes pastoris foram, a princípio, adaptadas de músicas religiosas e, com a evolução, passaram a ser utilizadas músicas profanas, cantadas pelos “pastores” e “pastorinhas”. No Brasil, foram introduzidos pelos jesuítas, no final do século XVI.

Os personagens são distribuídos em dois cordões: o azul e o encarnado, cores votivas de Nossa Senhora e Jesus Cristo. Entre eles, os mais conhecidos são: mestre, contramestre, Diana, belo anjo, o velho (figura cômica), o zagal, estrela do norte, cruzeiro do sul e outros, que aparecem ocasionalmente, por influência local ou reminiscências avivadas. Não faltam, também, nessas encenações, a representação de figuras, loas ao público e a despedida final, tudo cantado e dançado.

Os bailes pastoris se realizam depois da Missa do Galo, compreendem as pastoras, (ou pastorinhas), o terno e o rancho. São grupos caracteristicamente vestidos que desfilam pelas ruas e visitam casas, onde cantam e dançam em homenagem ao nascimento do Menino Jesus, durante as Festas Jesuínas. Estas comemorações propagaram-se por todo o Brasil, especialmente no Nordeste.

Indumentária: Característica das personagens.

Instrumentos musicais: ganzá, cavaquinho, violão, flauta, viola, trombone, etc.

Coreografia:
Pastoras ou Pastorinhas: São blocos compostos de mulheres, e às vezes também de homens.  Formam dois ranchos ou cordões que recebem o nome conforme a cor das vestimentas - no Nordeste cordão azul e cordão encarnado. São rivais e desfilam pelas ruas até se encontrarem em determinado local, onde ambos cantam e dançam, fazendo exibições em disputa da primazia. O julgamento é feito pelo povo, e a vitória cabe ao que for mais aplaudido. As pastoras levam pandeiros enfeitados de fitas, que tocam em acompanhamento marcando o ritmo e o compasso.  Conduzem, também, lanternas de papel acesas. Outras vezes, usam chapéus floridos, trazendo cestinhas com frutas e flores, que simbolizam oferendas ao Menino Jesus. As personagens são anjos, borboletas, a mestra, a contra-mestra, a diana e o velho. Marcham pelas ruas e param em certos pontos onde cantam e dançam. Na Bahia são chamadas terno ou rancho.

Terno: O terno é composto de pastores e pastoras, uniformizados de branco ou de qualquer outra cor. Apresentam-se de maneira mais aprimorada e vestem-se com mais elegância do que o pessoal do rancho. Os músicos vão na frente. Os participantes formam pares. Os homens conduzem pandeiros e uma flecha com uma lanterna acesa na ponta. As mulheres levam castanholas. Tocam quadrilhas, valsas e polcas, e dançam até o raiar do dia.

Rancho: Tem como característica principal o gosto pelas vestimentas vistosas e variadas. E esta variedade, precisamente, que empresta ao rancho o seu sabor especial, seu fausto, seu esplendor, realçado pela estonteante mistura de cores dos trajes profusamente adornados de lantejoulas e pedrarias. Distingue-se das pastoras e do terno sobretudo por apresentar baliza e porta-estandarte. Exige também um mestre-sala e uma ou duas figuras que dão o nome ao estandarte.  Antigamente, eram o burrinho e o boi do presépio; com o tempo surgiram outras figuras de bichos, sereias, astros e plantas.
A dança do rancho consiste numa luta entre o animal – símbolo totêmico do rancho – e o seu guia, que será caçador no caso da onça; pescador quando o símbolo for peixe. Trata-se, pois de uma pantomima totêmica, o que demonstra a influência indígena.
A dança terminada, o rancho some na escuridão da noite à luz rubra dos archotes fumegantes.

 
 
Onde assistir: Prado, Canavieiras, Porto Seguro e Salvador
 
 
 
 
SHOPPINGVISITEABAHIA

 

Documento sem título
Sites do Grupo VBTur :
VBTur :Agencia Operadora de turismo Receptivo em Salvador :Ag.receptivo Pacotes de Reveillon :Pct hospedagem
Pacotes de Carnaval : Pct hospedagem Visite a Bahia: Portal de Turismo Bahia Visite o Brasil: Portal de Turismo Brasil
Turismo TV: Webtv sobre Turismo Noticias de Turismo: Noticias s/Turismo Ofertas do Turismo: Ofertas especiais
Leilão de Turismo: Produtos turísticos Central de Escunas: Passeio às Ilhas Turismo Club: Ofertas só p/associados
Aquishow: Portal de Musica e Lazer    

Copyright 2004 -VisiteaBahia.com.br

Todos os direitos reservados à visiteabahia.com.br * É totalmente proibida a cópia total ou parcial desse site.